Governos usam imóveis de luxo para aliviar crise

, de Exame.com

São Paulo – Há governos que estão taxando mais os compradores de imóveis de luxo em uma tentativa de melhorar seu déficit fiscal, segundo pesquisa da UHY International. Na média, as taxas para propriedade com valor de 3,5 milhões de dólares é de 3,4%, comparado a 2,6% para um imóvel de 150 mil dólares.

De acordo com a UHY, com a crise financeira, os governos passaram a procurar formas de tapar seus déficits e uma forma populista de fazer isso é colocar taxas maiores nos imóveis mais caros – que costumam atrair compradores estrangeiros. Alguns mercados são suficientemente robustos para absorver isso, mas outros precisam tomar cuidado para não prejudicar o mercado, segundo a UHY. O estudo da UHY analisou as taxas de 25 países, incluindo os membros do G7.

A Espanha e o Reino Unido têm algumas das taxas mais altas para a aquisição de imóveis de luxo, segundo o estudo. No Reino Unido, a taxa é de 7% para propriedades que custem mais de 3,1 milhões de dólares. Na Espanha, nas regiões populares entre os ricos locais e estrangeiros (como Andaluzia, Cantábria e Astúrias) as taxas variam de 8% a 10%.

Muitas economias da Europa que não taxavam a transferência desse tipo de propriedade em particular ainda tem taxas altas para propriedades no geral – de cerca de 4,5% como, por exemplo, na França, Itália, Áustria, República Tcheca e Alemanha.

A prática não se restringe à Europa. Na China, por exemplo, os imóveis mais caros tem taxas de 5% do valor da propriedade, enquanto imóveis mais baratos tem taxas de 3%. Já América do Norte, as taxas seguem menores, abaixo de 1% nos Estados Unidos por exemplo.

Veja as taxas nos países:

 

Para uma propriedade de 3,5 milhões de dólares Para uma propriedade de 150 mil dólares
País Quantidade de taxas pagas (dólares) % do preço da propriedade País Quantidade de taxas pagas (dólares) % do preço da propriedade
Índia 280.830,00 8,0% Índia 12.830,00 8,6%
Espanha 245.000,00 7,0% Espanha 10.500,00 7,0%
Reino Unido 245.000,00 7,0% Argentina 7.650,00 5,1%
Austrália 185.830,00 5,3% França 7.640,00 5,1%
Argentina 178.500,00 5,1% Alemanha 7.500,00 5,0%
França 178.150,00 5,0% Áustria 6.900,00 4,6%
Alemanha 175.000,00 5,0% República Tcheca 6.050,00 4,0%
China 165.030,00 5,0% México 5.410,00 3,6%
Áustria 161.000,00 4,6% China 4.580,00 3,0%
Israel 153.340,00 4,4% Itália 4.940,00 3,0%
República Tcheca 140.050,00 4,0% Romênia 3.820,00 2,5%
Japão 113.930,00 3,3% Austrália 3.660,00 2,4%
Itália 105.440,00 3,0% Malásia 3.000,00 2,0%
Malásia 105.000,00 3,0% Países Baixos 3.000,00 2,0%
México 83.220,00 2,4% Emirados Árabes Unidos 3.000,00 2,0%
Países Baixos 70.000,00 2,0% Uruguai 3.000,00 2,0%
Emirados Árabes Unidos 70.000,00 2,0% Japão 1.810,00 1,2%
Uruguai 70.000,00 2,0% Irlanda 1.500,00 1,0%
Canadá 66.160,00 1,9% Canadá 1.230,00 1,0%
Irland 57.020,00 1,6% EUA 1.110,00 0,7%
Romênia 55.680,00 1,6% Estônia 170,00 0,1%
EUA 28.000,00 0,8% Reino Unido 0,0%
Estõnia 3.320,00 1,0% Israel 0,0%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *